Você lê hot? Veja sugestões de leitura gratuita do gênero no Dia Internacional da Mulher

Os primeiros dias de março chegaram com uma polêmica nas redes sociais que movimentou leitores e escritores de literatura hot. Ler ou não ler esse tipo de literatura? O que ela representa? Quem a escreve? Quais os perfis dos leitores?

A verdade é que a procura pelo gênero tem crescido nos últimos anos e é cada dia maior a quantidade de autores que assinam obras que têm por tema ou por plano de fundo o bom e velho sexo. A fórmula batida, porém, muito bem aceita, da mulher simples que conhece cara rico, tem dado lugar a obras mais ousadas onde a mulher se destaca com todo seu empoderamento sexual.

“Nada é estático, muito menos as histórias que nascem aos borbotões atualmente. E é claro que assim o é com a escrita hot. Muitas de nós tem destacado a mulher independente e livre, levantando questões sociais importantes, como a diferenciação social entre homens e mulheres.” Explica a jornalista Roberta de Souza, autora do conto Ella.

Para mostrar que autores e leitores hot são muitos e crescem consideravelmente, foi criado o movimento #euleiohot, onde autoras de ebooks nacionais, sejam de contos ou romances, deixarão suas obras gratuitas nos dias 7 e 8 de março, em homenagem ao Dia Internacional da Mulher.

“A ideia do grupo surgiu da necessidade que sentimos em fazer as pessoas entenderem que não precisamos ser idênticos, com os mesmos gostos e desejos, mas DEVEMOS respeitar o espaço do outro. Então fiz uma postagem nas mídias sociais sugerindo que as autoras de hot se unissem em uma ação em que disponibilizaríamos e-books gratuitos no dia 08 de março. As meninas toparam e foram convidando as outras, e rapidamente chegamos aqui.” Explica Erika Gomes, autora do livro Amélia.

Formado por mais de 30 títulos, o grupo apresenta perfis múltiplos com autoras de idades, localidades e orientação sexual diversas. Além de apresentar histórias que contém sexo, o movimento destaca que as histórias vão além do hot, os romances apresentam histórias complexas de relações conflituosas, carências, amores e todo o universo de sentimentos que fazem parte da vida de todos os seres humanos reais.

“Acredito que depois do livro 50 Tons de Cinza, o hot ficou mais escancarado, já se lia muito, nos tempos dos romances de banca, como o Sabrina, mas era uma coisa reservada. Após as portas serem abertas, as mulheres principalmente, começaram a perder o medo e vergonha de lerem hot, de gostarem de ler e de se identificarem. Arrisco até a dizer que em termos de relacionamento afetivo, também houve uma libertação. A famosa libertação na cama.” Finaliza Dani Moreno, autora do ebook O Beijo.

Confira os livros que estarão gratuitos nos dias 7 e 8 de março em suas versões Ebook Kindle, clicando no link abaixo.

https://linktr.ee/euleiohot

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s